quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

... das estrelas

Você já sentiu uma dor tão forte no peito? Uma dor inexplicável racionalmente? Eu diria que biologicamente também, pois não há como explicar a dor de uma perda. Este ano que se foi, levou consigo alguém, mas me trouxe alguns pensamentos sobre o que a vida significa.

Será que a vida significa tempo? O tempo de estar atrasado.O tempo de não perder uma entrevista. O tempo de estar com alguém. Ou o tempo de não estar?
Mas talvez a vida signifique riqueza. A riqueza que traz poder. A riqueza que gera inveja. A riqueza que gera luxuria. Ou a riqueza que mata?

Pensei muito sobre como vivemos, como almejamos um futuro promissor e na maneira como as pessoas tratam umas as outras, com, muitas vezes, desrespeito. E me perguntei incansavelmente: como chegamos a está situação? Porque não nos importarmos se todos iremos embora um dia?

A vida é como um fio de barbante, em algum momento ele irá ser cortado e caso isso não aconteça o rolo acabará. Tudo é infinitamente curto. Aquele tempo que você deixou passar com seus amigos porque tinha muito trabalho para fazer. Aquele dia que não conseguiu ficar ao lado de quem ama porque não teve tempo. O dia em que se irritou tanto com a atitude de alguém e não foi se reconciliar. Nenhum desses momentos podem voltar, porque o barbante sempre corre, e por mais que você tente enrola-lo novamente ele nunca terá a mesma textura.

Então, depois de tantas divagações, ainda tinha perguntas: O que significa a vida?
Será que aquele momento único, quando subimos em um tronco de arvore, mais próximos da natureza, e vemos o por do sol de longe, alaranjado, será que este momento de felicidade pode resumir-se ao que temos de melhor na vida? Será que são esses os pequenos significados de viver?

Entretanto, quando me deparei com pessoas chorando e refletindo sobre o que a morte trás, o barbante tornou-se resistente para mim e eu vi que a vida nada mais é que amor. Porque diante dele nós perdoamos qualquer mal entendido. Porque diante dele nos sofremos. Porque diante dele renovamos nossas energias. Diante dele,,, somos mais fortes.
E diante dele desenrolamos o barbante sem medo, porque por mais que erremos, sabemos que estamos fazendo nosso melhor.


Que você brilhe ai em cima, L.