segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

What If


Muitas pessoas deixam para depois o que pode ser feito agora, será que isso é certo?
Acredito que não, assisti um filme chamado "Letters to Juliet" (Cartas para Julieta) é um romance bem típico, porém, bonito. "What if" (E se) eram as palavras utilizadas pela personagem Claire, palavras tão equivocadas, imagina, passar anos reformulando um "talvez" em sua cabeça."E se" tivesse dado certo. "E se" não conseguisse. "E se" eu tivesse mais coragem.
São assuntos que realmente acontecem em nosso cotidiano, o medo de arriscar a tomar uma atitude sem ter a certeza de que dará certo, é o que nos move a não agir, porém será que o medo supera a indecisão do futuro, as perguntas que seguiram em sua mente?
É algo muito remoto, eu voto em agir e esperar as consequências, nunca deixe para amanhã o que pode ser feito hoje, talvez amanhã seja tarde demais, literalmente. Claire teve uma nova chance no filme e pode reencontrar seu verdadeiro amor depois de 50 anos, mas me pergunto. Quantas pessoas possuem duas chances em sua vida? Não sei a resposta ao certo, mas decisões sempre devem ser bem pensadas, pois acredito que a oportunidade não bate mais de duas vezes na porta.
Portanto, repense bem antes de tomar uma atitude precipitada, ou até mesmo pensada, não estamos tratando apenas de um assunto especifico, qualquer tipo de decisão, seja amorosa, seja no trabalho, na vida, um rumo, uma viagem, qualquer delas. Nunca se esqueça, novos lugares, novas pessoas e uma chance maior de ter certeza em decisões a tomar. Nunca se acostume com aquilo que não lhe traz segurança, vá sempre atrás daquilo que lhe traz conforto e felicidade, pois são as palavras corretas para ter uma vida com menos expectativa e mais sucesso.

É esse o texto que deixo para refletir neste Natal, uma data que possui muitos significados, porém só uma verdade, o nascimento de Jesus Cristo. Não estou tratando de religião, mas muitos esquecem desse significado e vêem essa data como motivo para consumir exageradamente, caindo sobre as armas do capitalismo. É uma data de reflexão que segue com um momento de mudança, novo ano e novas expectativas.

Este provavelmente será meu ultimo post de 2010 e espero que todos tenham um belo natal e uma ótima entrada de ano, seguida de muita paz e sucesso, pois todos merecemos, depois desse ano cheio de ocupações e stress. Que venha 2011 mais turbulento e melhor que este ano, que terminou tão bem e me fez perceber que tudo na vida possui um tempo certo para acontecer e estou satisfeita de terminar este ano cheia de felicidade depois de tantas frustações, pois a vida é assim, como o oceano, uma hora calmo e outra com ondas de mais de 9 metros de altura.


quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

oitododoze




Dizem que uma vida é pouco para aprender a amar, eu discordo, basta encontrar alguém que lhe faça bem, que faça você sentir borboletas no estômago, que lhe faça escrever mais de uma carta, que faça você deixar tudo de lado para ser feliz, que lhe de conselhos quando estiver fazendo algo errado, que esteja contigo tanto nos momentos bons quanto nos ruins e que acima de tudo lhe respeite e ame como igual.
Amor é maior que paixão, vai além de coragem e gratidão, supera até os limites da compreensão, acho que muitos dizem que é necessário uma vida inteira para encontrar amor verdadeiro, e até certo ponto isso é correto, pois esse sentimento é tão intenso e poucos, realmente poucos, conseguem lidar com ele, muitos possuem em suas mãos, porém não sabem como utilizar, muito menos como aproveitar.
Hoje faz 122 dias que eu encontrei a pessoa que mais valorizo e tenho orgulho nessa minha vida, eu aprendi muito ao lado dela e espero aprender muito mais, sempre tive toda a felicidade que podia encontrar, amigos incríveis, pais maravilhosos, uma familia fantástica e hoje para completar meu ciclo eu tenho um namorado lindo.

Obrigada meu amor, pelos quarto meses mais incríveis da minha vida, por ter salvo um ano cheio de confusões e problemas e por sempre estar ao meu lado.

EU TE AMO ♥

"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil.

Clarice Lispector"

Clarice sempre está certa, e nesta ela não errou também. Parabens para nos dois, pois merecemos!